segunda-feira, 27 de março de 2017

HÓQUEI EM PATINS: 6 DICAS PARA MOTIVAR OS JOGADORES


«Imensa gente procura ideias para motivar a sua equipa, seja esta de futebol ou de outra modalidade qualquer. Uma das perguntas mais frequentes que encontramos por ai é "como fazer um discurso motivador?". Um discurso motivador, apenas terá efeito nos jogadores, se estes já se encontrarem motivados. É como relembrá-los que são capazes de entrar em ação e fazer as coisas bem. Porém, mesmo o melhor discurso do mundo não terá motivação se o jogador foi mal treinado durante a semana. Experimente motivar um atleta que não jogou nem está preparado para jogar. Pode sentir-se motivado por algum tempo, mas é muito provável que não esteja realmente motivado, pois existe uma grande diferença entre estar motivado e sentir-se motivado. Através destas 6 dicas, vamos explorar algumas dessas "armas de motivação".

Primeira dica - Elogie imenso
O elogio é uma das mais fortes armas da motivação e da boa relação entre vários indivíduos. Elogiar os outros fará eles oferecerem um pouco mais daquilo que nós elogiamos. É um comando psicológico muito utilizado, que penetra no inconsciente do indivíduo, levando-o a reconhecer o que está certo ou errado. Por exemplo, vamos supor que vamos treinar dois jogadores em dois exercícios iguais. A um jogador, elogiámos sempre que ele faz algo bem. Ao outro jogador, não elogiamos nada. Pode ter a certeza que o jogador que elogiou evoluirá muito mais depressa que o outro jogador.

Segunda dica - Tenha uma forma de trabalhar
Não adianta pedir o esforço de ninguém se não mostrar primeiro como fazer. Não adianta pedir aos jogadores para jogar de determinada forma, se ainda não aprenderam a jogar dessa forma nem são orientados para jogar dessa forma. Se pretende ter os jogadores a jogar motivados, faça-os perceber como deseja que eles joguem e treine-os para isso. Apenas o treino por objetivos, fazendo-os evoluir e fazendo ver um objetivo na sua evolução pode ter sucesso na motivação dos atletas, pois os jogadores sempre fazem a pergunta "Para quê?". Se tiverem a resposta, estarão motivados, podem estar certos disso.

Terceira dica - Esqueça as frases dos outros vencedores
A não ser que saiba utilizar corretamente uma frase que encontrar por aí, nunca repita nenhuma frase de nenhum vencedor. Se disser uma ou outra vez, não faz mal algum, mas se repetir várias frases de vários vencedores quando está a tentar motivar os seus atletas, muitos deles reconhecerão essas frases, e verão o treinador como um sonhador e não como um lutador. A diferença é que um sonhador não vence. E nenhum liderado profissional pretende ter um líder que sonha um dia ganhar alguma coisa.

Quarta dica - Mantenha os pés firmes
Não estou a dizer para ser rabugento ou ignorante naquilo que os jogadores pedem. Deixe-os falar, e se não gostar da ideia apenas diga não e apresente uma razão muito simples para rejeitar a ideia. Desta forma, o jogador saberá que o treinador o ouviu (equivale a sentir-se valorizado) e reconhecerá quem é o líder do grupo (não passará dos limites). Muitas vezes parece que as pessoas nos testam naquilo que nós fazemos. Uma ideia, pode ser um desses testes, e se responder mal, perderá algum valor para essa pessoa. Ficar calado, por vezes não ajuda. Neste caso, se uma ideia é realmente um teste, rejeitar a ideia representa manter o comando do grupo, que significa passar no teste que o jogador lhe fez. Recordo, testes partem na grande maioria do inconsciente das pessoas

Quinta dica - Oiça música, obrigatoriamente
Não estou a brincar. (…)Descrição: http://ir-na.amazon-adsystem.com/e/ir?t=teoridofuteb-20&l=as2&o=1&a=B005NPC2YE. Aquilo que eu aconselho mesmo é gozar os seus momentos sozinho ao sim de uma boa música enquanto organiza a sua vida. Isso recarregará as suas energias e o fará ir para o treino com mais confiança. É esse o segredo.

Sexta dica - Não desperdice um minuto de trabalho
Um líder é um comandante de um grupo, e o grupo será construído à sua imagem. Se o líder é batalhador, o grupo também o será. Um treinador, se chegar mais cedo que os jogadores para preparar o treino, está a garantir que os jogadores, mal pisam o relvado, vão treinar, evitando desperdiçar energias e tempo a desenhar exercícios no campo por parte do treinador, assim como em brincadeiras por parte dos jogadores. É muito vantajoso ser bem organizado no trabalho, de forma a não perder minutos preciosos que podem ser utilizados a treinar os jogadores. E como sabemos, o tempo para os treinar já é pouco. Garanta que os jogadores, desde que entram no relvado até saírem, joguem à bola.»


FONTE: Valter Correia, in http://www.teoriadofutebol.com/apps/blog/show/32799422-aprenda-a-motivar-os-jogadores-com-6-dicas-especiais

quinta-feira, 16 de março de 2017

PORQUE RAZÃO AVALIAMOS TANTO O DISCURSO DOS TREINADORES

A liderança do treinador é um dos temas mais fascinantes do desporto, num ambiente geralmente competitivo onde o trabalho individual e coletivo estão interligados. E a liderança de uma equipa, pela complexidade e ambiguidade em que é exercida, continua a originar novas formas de a discutir, seja num gabinete de uma equipa profissional seja num café!
A verdade é que um treinador tem inúmeros desafios e em quase todos eles precisa de ter uma capacidade eficiente de exercer a sua liderança perante a sua equipa técnica ou os seus atletas, sabendo que o seu comportamento e a sua experiência são determinantes para o seu sucesso e o ambiente que cria através do seu relacionamento tem uma especial influência na entrega por parte do atleta.
Ao praticar a liderança o treinador socorre-se e envolve-se nas ações, tenta usar a parte motivacional e perceber a mente de cada atleta que faz parte da equipa. E é através da sua comunicação que alinha as suas ideias e as suas ações, para inspirar os atletas em prol dos objetivos. A narrativa por parte de um treinador para a sua equipa é composta geralmente por três elementos: a história do treinador, a história do «nós» e a história para ou sobre o contexto. E é na narrativa do treinador que compreendemos os seus valores, o que ele quer passar à equipa e como ele gere e potencia os desafios com aquela mescla de palavras e frases em várias direções.  
(…)
Alex Ferguson afirmava que para se ser campeão é necessário inspirar as pessoas a serem melhores, dar-lhes melhores competências técnicas, torná-las vencedoras e conseguir que eles entendam que estás a lutar por elas. E isto consegue-se através de um discurso que nem tem de ser inspirador, mas tem de cativar um a um. Se não for assim, até se podem vencer jogos, mas não se vencem campeonatos.
Numa observação sobre o clima na equipa nacional neozelandesa de rugby, abordou-se a questão essencial para o treinador que é conseguir construir uma ideia de si enquanto treinador e líder. E sem existir a capacidade de verbalizar essa mesma ideia concreta e o mais real possível para equipa, de pouco valem os conhecimentos. O treinador Mike Krzyzewski, o enorme Coach K, afirma algo como: «Tu tens de ser tu próprio. Isto é algo que tu tens de falar às tuas equipas, de ser e usar a tua personalidade e os teus valores para atingir a equipa.»

Tudo se altera em pouco tempo. E até podemos pensar que conseguimos acompanhar as mudanças, mas a nossa narrativa sofre sempre que tentamos ser algo que não somos. Lá bem no fundo, os atletas estão sempre à escuta, até podem não perceber o exercício x ou y, mas captam todos estes momentos de grande ou má performance comunicacional. E quando a bola não rola, também nós nos cafés ou nas redes sociais avaliamos isso. 
FONTE: Rui Lança, inhttp://www.maisfutebol.iol.pt/opiniao/rui-lanca/por-que-razao-avaliamos-tanto-o-discurso-dos-treinadores 

quinta-feira, 2 de março de 2017

REVOLUCIONÁRIO TREINO ESPECIFICO DE GUARDA REDES DE HÓQUEI EM PATINS – SÉCULO XXII

Foto retirada do Blog Cartão Azul

Sem qualquer tipo de ironia misturado à mistura na presente publicação, todos nós ligados à modalidade, nomeadamente os treinadores, sabemos e percebemos a dimensão da especificidade da posição do guarda redes na nossa modalidade, já para não mencionar a importância da mesma.
Sabemos também que é preciso trabalhar e desenvolver muitas habilidades/competências nos guarda redes desde "tenra" idade. Nesse sentido, visionamos o importante trabalho que deve ser realizado com os guarda redes, o qual expomos nesta publicação.
Provavelmente esta publicação será alvo de inúmeras críticas no presente, mas talvez no século XXII alguém dirá que já em 2017, um pequeno blog abordou esta temática. Fica o nosso registo.

Para trabalhar/desenvolver/melhorar:

Agilidade - "Roubar" laranjas ou cerejas ou outro fruto de árvore ao vizinho ou a outra pessoa e fugir saltando muros e vegetação picante/cortante. Não pode em momento algum o guarda redes usar quaisquer utensílios e deverá trazer quantidade suficiente para alimentar abundantemente um grupo de amigos. O guarda redes não pode ser avistado pelo dono das árvores.

Velocidade de Reação - Executar a tarefa descrita anteriormente em “Agilidade”, mas agora terá de ser visto pelo dono das árvores. O guarda redes não poderá ser apanhado pelo mesmo. Se o nível a trabalhar no guarda redes for um nível avançado, então será de arriscar o exercício com um dono que tenha uma espingarda de chumbos.

Força de Membros Superiores - Escolher alguém que viva especificamente em meio rural e que possibilite que o guarda redes execute tarefas como arrumar/carregar/descarregar lenha e materiais similares. O guarda redes só pode utilizar os membros superiores e convém ter indicações ao nível da postura corporal mais correta para cada movimento. Em alternativa poderão executar salto ao eixo sobre os amigos em fila indiana. O último da fila inicia o salto e quando chegar a primeiro baixa para os restantes colegas saltarem.

Velocidade de Movimentação entre Postes - Juntar um grupo de amigos e jogar ao rato e ao gato ou à apanhada/caçadinhas. Poderão começar num nível mais fácil com apenas um elemento a apanhar e sucessivamente ir aumentando o número de pessoas a apanhar os restantes elementos. Existir ou não "livras", fica ao critério de cada um.

Concentração versus Velocidade de Execução - Exercícios como apanhar grilos, jogar à cuca (escondidinhas), e o lencinho vai na mão, são boas escolhas.

Coordenação Óculo Manual - Jogar à malha é uma excelente opção. Em alternativa, o jogo do espeto na terra é um bom complemento.

Precisão com bola / Saber onde colocar a bola - Jogar ao berlinde em curtas e longas distâncias com berlindes de diferentes tamanhos são indicados nesta situação. Para um nível mais avançado, aconselha-se a realização de um jogo de ténis (singulares e pares) sendo as respetivas raquetes as próprias mãos dos guarda redes. Para um nível médio a opção de ténis de mesa (o antigo ping pong) com as próprias mãos também, em detrimento das raquetes, são excelentes opções.

Aptidão Cárdio Respiratória - Jogar futebol de rua, se possível em campo pedrado ou pelado, em formato de muda aos dois e acaba aos quatro. Saltar à corda individualmente ou em grupo parece indicada, são também excelentes complementos para este tipo de trabalho.

Velocidade / Força  - Saltar ao eixo em equipas, ou como se dizia no século XX, jogar “ao vai milho” ou "vai aço".

Força de Membros Inferiores - Jogo da "corda tola". Um elemento coloca-se no centro de um grupo de amigos que estão dispostos em circulo com uma corda. Esse elemento gira a corda em circulo partindo de uma velocidade baixa até uma velocidade alta e os restantes elementos devem saltar por cima da corda sem tocar na mesma. Quem for eliminado vai executando agachamentos até o jogo terminar. Em alternativa à corda sugere-se uma mangueira.

Defesas com o Capacete: Jogar ao jogo das "cabeçadas na bola de ténis" em formato baliza à baliza (mais ou menos 4 metros de distância entre balizas). Não utilizar o capacete neste exercício. Um elemento lança a bola, o outro cabeceia tentando fazer golo. Só se pode utilizar a cabeça para defender e previamente estabelece-se a altura mínima para que os golos sejam validados. Só se pode utilizar a mão nas jogadas iniciais ao lançar a bola para a cabeça do opositor.

Não será fácil a programação deste tipo de treinos e de exercícios nos tempos atuais, mas os guarda redes que tomarem esta opção de treino, terão mais probabilidade de chegar ao topo em nosso entender. 
Outras habilidades/competências ficaram por abordar, sendo estas as mais importantes em nosso entender. Fica aqui uma opinião THP. Aguardamos as vossas críticas construtivas.