quinta-feira, 2 de março de 2017

REVOLUCIONÁRIO TREINO ESPECIFICO DE GUARDA REDES DE HÓQUEI EM PATINS – SÉCULO XXII

Foto retirada do Blog Cartão Azul

Sem qualquer tipo de ironia misturado à mistura na presente publicação, todos nós ligados à modalidade, nomeadamente os treinadores, sabemos e percebemos a dimensão da especificidade da posição do guarda redes na nossa modalidade, já para não mencionar a importância da mesma.
Sabemos também que é preciso trabalhar e desenvolver muitas habilidades/competências nos guarda redes desde "tenra" idade. Nesse sentido, visionamos o importante trabalho que deve ser realizado com os guarda redes, o qual expomos nesta publicação.
Provavelmente esta publicação será alvo de inúmeras críticas no presente, mas talvez no século XXII alguém dirá que já em 2017, um pequeno blog abordou esta temática. Fica o nosso registo.

Para trabalhar/desenvolver/melhorar:

Agilidade - "Roubar" laranjas ou cerejas ou outro fruto de árvore ao vizinho ou a outra pessoa e fugir saltando muros e vegetação picante/cortante. Não pode em momento algum o guarda redes usar quaisquer utensílios e deverá trazer quantidade suficiente para alimentar abundantemente um grupo de amigos. O guarda redes não pode ser avistado pelo dono das árvores.

Velocidade de Reação - Executar a tarefa descrita anteriormente em “Agilidade”, mas agora terá de ser visto pelo dono das árvores. O guarda redes não poderá ser apanhado pelo mesmo. Se o nível a trabalhar no guarda redes for um nível avançado, então será de arriscar o exercício com um dono que tenha uma espingarda de chumbos.

Força de Membros Superiores - Escolher alguém que viva especificamente em meio rural e que possibilite que o guarda redes execute tarefas como arrumar/carregar/descarregar lenha e materiais similares. O guarda redes só pode utilizar os membros superiores e convém ter indicações ao nível da postura corporal mais correta para cada movimento. Em alternativa poderão executar salto ao eixo sobre os amigos em fila indiana. O último da fila inicia o salto e quando chegar a primeiro baixa para os restantes colegas saltarem.

Velocidade de Movimentação entre Postes - Juntar um grupo de amigos e jogar ao rato e ao gato ou à apanhada/caçadinhas. Poderão começar num nível mais fácil com apenas um elemento a apanhar e sucessivamente ir aumentando o número de pessoas a apanhar os restantes elementos. Existir ou não "livras", fica ao critério de cada um.

Concentração versus Velocidade de Execução - Exercícios como apanhar grilos, jogar à cuca (escondidinhas), e o lencinho vai na mão, são boas escolhas.

Coordenação Óculo Manual - Jogar à malha é uma excelente opção. Em alternativa, o jogo do espeto na terra é um bom complemento.

Precisão com bola / Saber onde colocar a bola - Jogar ao berlinde em curtas e longas distâncias com berlindes de diferentes tamanhos são indicados nesta situação. Para um nível mais avançado, aconselha-se a realização de um jogo de ténis (singulares e pares) sendo as respetivas raquetes as próprias mãos dos guarda redes. Para um nível médio a opção de ténis de mesa (o antigo ping pong) com as próprias mãos também, em detrimento das raquetes, são excelentes opções.

Aptidão Cárdio Respiratória - Jogar futebol de rua, se possível em campo pedrado ou pelado, em formato de muda aos dois e acaba aos quatro. Saltar à corda individualmente ou em grupo parece indicada, são também excelentes complementos para este tipo de trabalho.

Velocidade / Força  - Saltar ao eixo em equipas, ou como se dizia no século XX, jogar “ao vai milho” ou "vai aço".

Força de Membros Inferiores - Jogo da "corda tola". Um elemento coloca-se no centro de um grupo de amigos que estão dispostos em circulo com uma corda. Esse elemento gira a corda em circulo partindo de uma velocidade baixa até uma velocidade alta e os restantes elementos devem saltar por cima da corda sem tocar na mesma. Quem for eliminado vai executando agachamentos até o jogo terminar. Em alternativa à corda sugere-se uma mangueira.

Defesas com o Capacete: Jogar ao jogo das "cabeçadas na bola de ténis" em formato baliza à baliza (mais ou menos 4 metros de distância entre balizas). Não utilizar o capacete neste exercício. Um elemento lança a bola, o outro cabeceia tentando fazer golo. Só se pode utilizar a cabeça para defender e previamente estabelece-se a altura mínima para que os golos sejam validados. Só se pode utilizar a mão nas jogadas iniciais ao lançar a bola para a cabeça do opositor.

Não será fácil a programação deste tipo de treinos e de exercícios nos tempos atuais, mas os guarda redes que tomarem esta opção de treino, terão mais probabilidade de chegar ao topo em nosso entender. 
Outras habilidades/competências ficaram por abordar, sendo estas as mais importantes em nosso entender. Fica aqui uma opinião THP. Aguardamos as vossas críticas construtivas.

1 comentário:

Ricardo Caldas disse...

Bom dia

Concordo perfeitamente com o que foi dito e até bem interessante. Só não percebo é a parte das defesas de cabeça!!!!!